• Coach Vitor

"Coach, devo fazer o treino Rx ou adaptado?"


Uma das primeiras perguntas que ouvimos dos alunos iniciantes é “O que é esse Rx escrito do lado dos resultados no quadro?”. ‘Rx’ é simplesmente uma sigla para “como prescrito”, significa que você fez o WOD exatamente como está escrito, tanto em relação às cargas, quanto aos movimentos e repetições. Apesar da resposta ser simples, o conceito por trás disso é bem mais amplo e leva à pergunta do título: “Devo fazer o WOD Rx ou adaptar?”

Para responder essa segunda pergunta iremos começar relembrando o básico. Todo treino programado por nós tem como intuito melhorar o preparo físico geral dos alunos e a melhor maneira de atingir isso é com alta intensidade. No CrossFit relacionamos intensidade diretamente com Potência (força x distância / tempo), quanto maior a Potência gerada, maior a intensidade. Essas são as duas variáveis mais comumente associadas à otimização de resultados num treinamento. Não é o volume, a duração, frequência cardíaca ou desconforto, nada disso. Resumindo, faça mais trabalho (força x distância) em menos tempo e você entrará em forma mais rápido!

O segundo aspecto mais importante que precisamos levar em consideração é saber qual o estimulo esperado para aquele treino. Todo o esquema de combinação de movimentos, repetições e cargas programado para o treino do dia é feito levando em consideração como os alunos mais bem preparados da box irão desempenhar esse treino. Ou seja, o ‘Rx’ é apenas um ponto de referência para aplicarmos um dos conceitos mais belos do CrossFit, a adaptação do treino do dia para a capacidade de qualquer pessoa com qualquer nível de condicionamento físico e habilidade.

E por fim, o outro aspecto a ser considerado é a segurança na execução do movimento. É importante ser consistente nos padrões de movimento para então adicionar carga, intensidade ou habilidades complexas, evitando assim o surgimento de lesões.

A partir daí, para aplicar da melhor maneira possível essa adaptação, precisamos conhecer as capacidades físicas de cada um dos alunos. Para os movimentos de levantamento de peso é mais simples. Costumamos usar um percentual da carga máxima de cada um como referência para o treino do dia (carga máxima = PR que a Coach Ju falou no ultimo post). Colocando esse percentual você provavelmente vai se movimentar de maneira segura e no ritmo que esperamos para aquele treino.

Já para os outros movimentos, principalmente os de peso corporal, usamos normalmente o aquecimento e a parte técnica como uma maneira de avaliar cada um dos alunos e determinar se recomendamos o treino Rx ou com alguma adaptação. Importante lembrar que, não é porque conseguimos executar um movimento que ele é apropriado para o treino do dia. A habilidade precisa estar relacionada ao estimulo esperado e muitas vezes a adaptação é a melhor opção.

Adaptar um treino não é algo de que devemos nos envergonhar. Não é para os fracos e mal treinados e não significa que seu treino foi ruim por causa disso. Tenha orgulho do nível que você está hoje e fique feliz de estar no caminho certo para se tornar uma versão melhor de si mesmo.

E lembre-se, da próxima vez que você ver no quadro movimentos que você não tem certeza se consegue/sabe fazer, pergunte ao seu coach como adaptar, ele é quem te conhece melhor e saberá como te ajudar.

Gostou desse post? Compartilhe com seus amigos!

Ficou com alguma dúvida? Pergunte nos comentários.

Veja mais dicas dos coaches clicando aqui.


144 visualizações
Endereços

Unidade Humaitá

Rua Voluntários da Pátria, 470 (Sobrado)

Botafogo - Rio de Janeiro - RJ

CEP: 22270-010

Unidade Bambina

Rua Bambina, 147
Botafogo Rio de Janeiro - RJ

CEP: 22251-050